Olhar por um outro ângulo: já tentou fazer isso?

Hoje eu tentei olhar por um outro ângulo, e senti uma vontade de escrever sobre isso. Olhei de uma outra forma para a vida, para o tempo, para as escolhas que fazemos e sobre aquilo que colhemos e o momento em que essa colheita é feita.

A nossa infância é feita por aquilo que as pessoas responsáveis por nós nos proporcionam, a nossa juventude é feita das coisas que escolhemos ou temos oportunidades de fazer, mas depois, na nossa vida adulta, essa é feita do que escolhemos na juventude, das nossas escolhas passadas, daquilo que plantamos. E nem sempre estamos satisfeitos com essas escolhas. Mas vamos tentar olhar por um outro ângulo.

Olhar Port um outro ângulo

Não vai adiantar depois ficar preso ao passado, arrependido de ter ou não feito isto ou aquilo. Estamos fadados a colher o que plantamos. E hoje me veio um sentimento estranho e meio louco por um momento, com os seguintes questionamentos: Qual o significado de tudo isso? Como somos pequenos e gigantes ao mesmo tempo. A nossa pequenês não nos permite entender a nossa própria vida nesta vida. E ao mesmo tempo somos gigantes se olhar por um outro ângulo, o de que fazemos parte da Criação de um Deus Onipotente e que cada um de nós somos importantes aos olhos de Deus.

Mas eu senti um vazio, aquele pensamento de jogar tudo pro alto e começar uma nova vida, por um instante foi coo se eu tivesse saído de dentro de mim e olhasse de fora, como um expectador da minha própria vida. E foi estranho isso de ver estando de fora.

Quase sempre julgamos o comportamento dos outros e dizemos o que os outros deveriam fazer para que suas vidas fossem melhores e felizes. Sempre temos a solução para os outros: Se fulana deixasse aquele marido, viveria melhor, se beltrano fizesse tal curso, teria outro emprego e seria feliz, e por aí vao. E nós? E quanto à nossa felicidade? Qual a solução para a nossa vida? Quais decisões temos que tomar para mudar as coisas que nos incomoda e que nos impedem de sermos felizers? E se pudéssemos olhar para a nossa própria vida estando realmente pelo lado de fora, qual o conselho que daríamos a nós mesmos? Será que continuaríamos tendo a mesma opinião? Acho que tentar ver a nós mesmos e a nossa vida por um melhor ângulo pode ser um bom exercício para um início de ano.

O que será que precisamos de verdade? Talvez seja mais cômodo ir levando a vida desse jeito mesmo sem tentar mudar muita coisa, ou como gostamos de dizer: – Deixa nas mãos de Deus. Será mesmo que Deus nos colocou aqui na Terra apenas para passarmos uma temporadaà passeio?

Cadaum terá que dar conta da inutilidade voluntária da sua existência. (Allan Kardec).

O que devemos viver? Como devemos viver?

Quando terminar essa existência, só levaremos os sentimentos daquilo que plantamos, sementes boas e ruins. Não podemos transferir essa responsabilidade pra ninguém. O que acontece em nossa vida, temos que conduzir da melhor forma, e se a melhor forma for difícil, devemos ser fortes para fazer com dificuldade mesmo. E se não entendemos o porque de tantas coisas, vamos pedir a Deus entendimento e serenidade. É um passo pra viver feliz!

Que em 2020 todos possam ver a vida por um outro ângulo, e que essa outra forma de olhar possa melhorar e mudar as atitudes para vivermos realmente mais feliz todos os dias. Pra viver feliz é preciso olhar pra dentro, pra fora, olhar com carinho, por um outro ângulo, compartilhando o que temos de bom, cooperando com a evolução dos outros, nos fazendo um carinho a nós mesmo, cuidando do que é importante, aproveito mais o tempo nas coisas que são essenciais, cultivando a paciência, a tolerância, o respeito e priorizando o amor!

Lilian Alves

Olá eu me chamo Lilian Alves, me tornei mãe aos 37 anos da pequena Sarah e quero compartilhar a experiência de poder ser feliz sempre, nessa nova etapa que é ser mãe!

Website: http://praviverfeliz.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *